segunda-feira, 21 de março de 2011

Negócios pela internet...

Está com dúvida? Não exite em contactar o administrador de um site e evitar surpresas! Procure perceber se o portal vende o tipo de miniatura que você gosta de colecionar ou de usar em seus trabalhos para revenda e não se deixe enganar pelas fotos dos sites que muitas vezes é de péssima qualidade!
A comodidade de fazer compras pela internet é reconhecidamente muito atraente! E com os miniaturistas não seria diferente. Muitos de nós passam horas na grande rede procurando por lojas online que ofereçam miniaturas e acessórios que possam compor coleções.

Infelizmente, no Brasil, são poucos os sites deste tipo, diferentemente dos EUA e Europa que agregam inúmeros portais especializados nos mini produtos. Colecionadores mais exigentes sentirão ainda mais falta porque a procura por peças mais elaboradas pode ser realmente improdutiva.

Mas o intuito desta postagem é alertar para algumas coisas:
- Vendas de produtos "pequenos": o produto "pequeno" não é necessariamente uma miniatura. Vendem-se desde botões para roupas de bebê passando-se por brinquedos em miniatura até bibelôs da Rua 25 de Março para os mais diversos usos.

- Vendas de peças mal acabadas: é preciso atentar para os produtos feitos artesanalmente com acabamento bastante precário que utiliza, por exemplo, cola quente (totalmente aparente). Isso sem falar nas cores que desbotam e nas tintas que descascam com o tempo.

- Vendas de peças fora de escala: muitos sites brasileiros vendem produtos rotulados como "escala 1/12" mas, como não foram produzidos pelo fabricante para este fim, podem ser muito grandes. A preocupação com escala parece não ser um ítem de máxima importância para os vendedores online.

- Produtos feitos com peças de bijuteria: são inúmeros os produtos oferecidos deste tipo! Mini perfumes, mini jóias, mini vasos e por aí vai. Infelizmente, os sites não costumam indicar que a peça tenha sido feita a partir deste tipo de material e pode ser outra surpresa desagradável aos seus olhos e ao seu bolso!

- Falta de informação: muitos sites não possuem uma descrição que caracterize o produto corretamente. Fica difícil saber, por exemplo, se a peça é feita em madeira torneada ou bloco de resina, se o detalhe é pintado à mão ou se  é papel colado, etc.

Ficam as dicas: está com dúvida? Não exite em contactar o administrador do site e evitar surpresas! Procure perceber se o portal vende o tipo de miniatura que você gosta de colecionar ou de usar em seus trabalhos para revenda e não se deixe enganar pelas fotos dos sites que muitas vezes é de péssima qualidade...

5 comentários:

Scrapbykit disse...

Só p vc ver que passei aqui. E dei o maior fora no e-mail. É miniaturismo...kkkkk!!
Até
Flávia

Priscila disse...

Achei interessantes todas as suas colocações, mas a questão da escala me intriga bastante. Há alguns meses comecei a produzir miniaturas que acreditava estar dentro da escala 1:12. Mas quando comprei alguns acessórios como pratos e xícaras vi que eles são muito maiores do que os que eu produzia. E pesquisando vi que maioria segue este mesmo padrão de tamanho. Pra você ter uma ideia, eu fiz umas xícaras medindo 5x6mm e os que comprei medem 8x9mm, e foram os menores que encontrei, amaioria passa dos 1,1cm. Os pratos e bandejas então, muito maiores.
Como não teho experiência em colecionar miniaturas fiquei confusa. Você que é infinitamente mais experiente, o que acha?

Edie BRazil disse...

Oi Priscila, muito obrigado pelo comentário!

De fato existem no mercado muitas miniaturas que são fabricadas por indústrias maiores e não estão na escala 1:12. Elas são muito usadas pelo pessoal que faz artesanato vendido nas feirinhas de muitas cidades pelo Brasil. Este tipo de artesanato não tem preocupação com escala porque é feito para enfeitar as casas e não para colecionadores.

Mas pelo que vejo, você tem essa preocupação! E é muito simples seguir a escala: basta medir uma peça em tamanho real, por exemplo suas xícaras, e dividir as medidas por 12. As medidas que resultarem, você deverá usar para confeccionar suas próprias peças em escala.

Por exemplo, se sua xícara real tem 10cm de altura, divida por 12 e chegara a 0,83mm na sua miniatura.

Espero que tenha ficado claro! Ah! E não se preocupe, com o tempo, seus olhos vão ficar mais "treinados" para saber o que está na escala só de olhar.

Muito boa sorte com a sua coleção!

Priscila disse...

Ah, muito obrigada por responder! Eu precisava muito saber.
De fato, era assim que eu fazia as medições. Essa xícara de 0,6 cm, por exemplo, cheguei a essa medida através das xícaras que tenho aqui em casa. Mas como todo mundo fazia em outro tamanho, achei que eu estava medindo errado. E isso porque eram miniaturas de outros países, as brasileiras são maiores ainda.

Mas eu realmente tenho essa preocupação porque quero fazer miniaturas para as pessoas colocarem nas suas casinhas.
Você acha que há interesse por parte dos colecionadores em miniaturas de comida e utensílios domésticos?

Edie BRazil disse...

Priscila, minha ideia não é desestimular você sobre o negócio, mas acho que é preciso encontrar mercado para produção de miniaturas no Brasil. Como qualquer negócio, é preciso estudar o público-alvo e entender a demanda pelo produto.

Nosso país tem uma característica muito peculiar de "faça-você-mesmo" que é amplamente divulgada e estimulada pelos programas de TV da tarde, por exemplo.

Além disso, vale lembrar que o miniaturismo chegou ao Brasil pela via da importação, caríssima para os nossos padrões, o que fez com que os colecionadores aqui buscassem por alternativas.

Com esse cenário, o que se percebeu ao longo dos últimos 10 anos, foi uma redução muito grande nesse mercado para quem quer produzir com fim lucrativo. O número de colecionadores é mínimo frente ao número de pessoas que fazem miniaturas com as próprias mãos e ferramentas.

Eu concluo que a demanda é pequena em relação à oferta. Mas sempre há forma de buscar uma entrada quando o talento existe!