terça-feira, 6 de novembro de 2007

E a mobília?


A esta altura do projeto, minha coleção de móveis já estava se formando. Alguns adquiridos em coleções vendidas nas bancas de jornais, outros comprados, importados, ganhados... Já começava assim outro projeto na cabeça: o de decoração!

Foram feitas várias versões do projeto de decoração procurando imaginar várias hipóteses e respeitando algumas coisas que não se pode esquecer numa miniatura:

- os móveis precisam ficar dispostos de maneira que uma "pessoa" pudesse passar entre eles, ou seja, é preciso respeitar a lei da livre circulação;

- móveis, em geral, precisam ficar com sua face voltada para o lado externo da casa, como numa vitrine, de forma que os espectadores possam vê-los. De nada adianta colocar uma cômoda linda de costas para o lado externo, só pra que ela fique embaixo da janela, porque ninguém vai vê-la! É claro que brincar com espelhos pode resolver este problema em alguns ambientes;

- não gosto muito da idéia de colar os móveis na casa (mesmo que seja com massinhas especiais pra isso como Mini Hold ou Tak) porque isso ajuda a criar aquela preguiça de nunca mais trocar nada de lugar com a desculpa de estar preso;

- usar um mesmo padrão de cor e textura da mobília, por ambiente, ajuda a manter a harmonia dele. Em contrapartida, contrastes bem pensados podem harmonizar tanto ou mais um projeto;

- fazer muitos testes, como o que aparece na foto acima, antes de definir qualquer coisa, pode ajudar, além de ouvir, é claro, muitas opiniões;

- ambientar o projeto em um contexto histórico ajuda a manter um mínimo de coerência entre as peças de mobília que se juntam num mesmo ambiente. Isso não quer dizer que todas as peças têm de ser de uma mesma época, mas pelo menos devem ser todos anteriores a um período que se determina como tempo presente;

- pesquisar muito os costumes e ambientes: livros, revistas, exposições, internet e bate papo com amigos mais velhos são itens obrigatórios;

2 comentários:

Nina disse...

Concordo com você em relação a não colar os móveis. Isso nos dá mais liberdade e não deixa o nosso projeto estático. Mas a Mini Hold (que é a que uso) ainda acho uma boa escolha, pois permite que mudemos os móveis e objetos a qualquer hora, mas garante uma fixação no ambiente, evitando tombos desastrosos ou mãos mal-educadas! Beijos

Nação Minimaníaca by EdieBRazil disse...

Nem me fale em mãos mal educadas. Vou escrever um post sobre isso qualquer dia...